Aventurando-se com o Old Dragon em Porto Alegre

Recentemente tive a oportunidade de iniciar mais um jogador no divertido mundo do RPG. A Carolina me disse que tinha vontade de aprender o que era, e prontamente escolhi um sistema que me fosse ao mesmo tempo familiar e de fácil iniciação. Qual seria? O Old Dragon!

Como para ela fica dificil comparecer no RPG4Newbies, conseguimos nos encontrar no primeiro sabado do mes na Casa de Cultura Mario Quintana.

Após explicações iniciais sobre o que era RPG, como funciona a mecânica de jogo, o papel de Mestre e do Jogador, começamos a criar o personagem. Isso mesmo, não levei um personagem pronto, fizemos na hora.

Percebi que alguns pontos não eram necessários para uma aventura introdutória, e deixei de fora conceitos de movimentação, carga, jogada de proteção e outras coisinhas. Claro, eu já sabia que iria mestrar “O Sino Dourado de Sir Valérius” (presente no recém lançado “Que as Aventuras Comecem!”), então de certa forma isso facilitou minha decisão de deixar alguns elementos de fora da explicação. Deixamos o “Alinhamento” em branco também.

Personagem pronto,  fomos direto para a introdução do personagem na vila, a tradicional ida à taverna (usei o artifício de “é meio dia e você está com fome”) e o encontro com um npc que não apenas iria ser o “empregador”, como também acompanharia o personagem na aventura (uma vez que as coisas poderiam ser difíceis para apenas um personagem).

A Carolina tirou o jogo de letra, criando uma guerreira que soube interagir de maneira peculiar com os npcs, e apostou na criatividade e esperteza ao lidar com os perigos da aventura.

No fim do jogo, conversamos um pouco mais, dei os xps e expliquei sobre avanço de nível, e enfim, falei sobre o alinhamento, perguntando qual alinhamento ela achava que tinha seguido.

“Caótico!”

Chegando em casa, mandei um “questionário de feedback”:

a-vc entendeu as explicações dadas?
b-vc achou as regras difíceis?
c- cumpriu suas expectativas?
d- vc jogaria de novo?
e- vc recomendaria o jogo para outros?
f- falando de diversão, q nota vc daria de 1 a 5 , onde 5 é o maximo e 1 o mínimo?

E a resposta foi:

“Ah sabe né, eu sou meio suspeita para falar, foi minha primeira experiência, não tenho nada para comparar, mas para mim foi tudo nota máxima!! Adorei, e estou louca para jogar de novo, e já cheguei em casa convidando um amigo meu, e vou continuar falando, numa tentativa, eu sei vã, de reunir um grupinho de RPG pra mim…”

Bom, era isso. Foi uma experiência muito legal, e espero poder repetir mais vezes (quem sabe na próxima aventura, eu não explique o conceito de “retirada estratégica”?)