Eu sou o Rafael Beltrame e é assim que eu jogo!

No segundo post da série “É assim que eu jogo!”, vamos conversar com o mestre mais old-school do Brasil, o Sr. Rafael Beltrame.

Pra quem não conhece, o Beltrinha (sim, a gente chama ele desse jeito – tem jeitos piores, mas esses a gente não publica) é o responsável pela linha de aventuras clássicas do Old Dragon, como o Forte Nas Terras Marginais, A Cripta do Terror e [CENSURADO], além de ser o co-autor do sensacional Guia de Armadilhas. Ele também é o responsável pelo nosso cantinho do fã de Old Dragon, o Moostache. Fora da Redbox, o Beltrame se dedica a projetos também ligados ao Old Dragon, como o Machados e Martelos e o Goblins em Campanha, ambos lançados pela Unza.

Sem mais delongas, vamos descobrir que segredos esse mestre de kung fu guarda atrás de sua divisória do mestre:

Cidade em que mora: Porto Alegre, mas queria morar em Greyhawk

Campanha atual: Campanha nas Terras Marginais, usando o Forte das Terras Marginais. Dizem que o autor dessa aventura é sádico, mas boa gente.

Descreva seu estilo de jogar em uma palavra: Varadedezmetros

Que apps, programas ou coisas que você não consegue jogar sem? Papel e caneta. Gosto de rabiscar posições, desenhar objetos e coisas do tipo. Gosto de minis e tabuleiros para alguns jogos (como em eventos), mas não os considero essenciais.

O que tem na sua mochila de RPG? Papel, dados, lápis e borrachas e um Old Dragon bem surrado. Na época juvenil, quando era obrigado a ir pra praia com meus pais, levava os 3 básicos do AD&D 2ed.

O que você faz na mesa de jogo que ninguém consegue fazer melhor? Qual o segredo? De acordo com o Igor Moreno, eu imito aqueles soldados capangas dos Power Rangers (brullulululu!). Era pra ser um cogumelo monstro, mas tudo bem. Acho que fora isso, eu gosto de criar tensão na mesa, geralmente pedindo testes que na verdade não servem pra nada.

O que você tem lido atualmente? Terminei uma aventura bem weird shit, No Salvation for the Witches. Acho que tem a ver com o meu tema atual, “bruxas” (estou assistindo “Salem” também). Mas costumo ler 3 ou 4 livros ao mesmo tempo, entre livros de estudo e livros just because.